Ver todas as notícias

12_1_2022__0_Screenshot_1.jpg - uploaded/imgs/noticias/12_1_2022__0_Screenshot_1.jpg - Disque Denúncia divulga balanço de denúncias em Angra dos Reis no ano de 2021


Disque Denúncia divulga balanço de denúncias em Angra dos Reis no ano de 2021

12/1/2022



O Disque Denúncia (0300 253 1177) recebeu em todo o ano de 2021 em Angra dos Reis, 1.306 denúncias anônimas sobre diversos crimes na cidade da costa verde fluminense. Como comparação, em 2017, quando não havia convênio com a Prefeitura Municipal de Angra dos Reis, o Disque Denúncia recebeu apenas 334 denúncias. Desde então foram registradas 937 denúncias no ano de 2018; 1.194 em 2019 e 1.496 em 2020.

Dado que chama a atenção é que dessas 1.306 informações no ano de 2021, quase 50% das denúncias vieram através do aplicativo para celulares “Disque Denúncia RJ”.

Com essas informações que são repassadas pela população de forma anônima, o Disque Denúncia continua auxiliando a polícia e o próprio morador da cidade. Grande prova disso são os resultados obtidos pelo 33º BPM (Angra dos Reis) que tem sido grande parceiro na averiguação dessas informações e que, na última semana, se tornou o batalhão melhor colocado (1º lugar) na redução dos índices de criminalidade em todo o estado, segundo o próprio comandante da unidade.

Pelo menos 29 armas foram tiradas das mãos de bandidos por conta de informações que os cidadãos repassaram ao Disque Denúncia. Também com essas denúncias, a polícia conseguiu prender ou autuar 48 pessoas na delegacia, além de apreender mais de 325 munições ou carregadores, além de 1.189 trouxinhas, sacolés ou tabletes de maconha (cerca de 36 quilos),  5.134 cápsulas, papelotes ou sacolés de cocaína (165 quilos), 57 pedras de crack; 66 frascos e 25 litros de cheirinho da loló.

Analisando geograficamente as denúncias, Centro (125), Parque Mambucaba (123), Ilha Grande (63), Bracuí (60) e Japuíba (59) foram os bairros onde houve maior incidência de informações. Finalizando os 10 bairros com mais denúncias, ainda temos: Monsuaba, Frade, Areal, Banqueta e Perequê.

Quando analisadas essas denúncias, é possível observar que tráfico de drogas (493) foi o assunto mais informado ao Disque Denúncia, seguido por posse ilícita de armas de fogo (218), maus tratos contra animais (170), informações sobre a pandemia do Coronavírus (112) e construção irregular (107), mas ainda houve diversos registros sobre localização de foragidos da justiça, obstrução de vias públicas (barricadas), estabelecimento comercial sem alvará, localização de centrais clandestinas de tv e internet (gatonet) entre outros.

Vale citar que o programa Linha Verde, exclusivo para recebimento de denúncias de crimes ambientais recebeu 486 informações em todo o município, superando as 347 do ano anterior. No que tange essas denúncias sobre meio ambiente, Ilha Grande, Bracuí, Japuíba, Monsuaba e Parque Mambucaba foram os bairros com maior incidência de denúncias.

Como curiosidade, vale mencionar que em agosto, o Disque Denúncia recebeu 147 informações, sendo o mês com maior número de denúncias cadastradas.

“Esses são os resultados do trabalho da incansável equipe do Disque Denúncia sob a liderança do Zeca Borges e com o apoio da sociedade civil, dos patrocinadores, das lideranças políticas nos municípios e de todas as polícias, que foram em busca das informações passadas pelos cidadãos ao Disque Denúncia”, afirmou Pedro Borges, Presidente do Instituto MOVRIO e coordenador-geral do Disque Denúncia.

Além de receber informações, o Disque Denúncia também promove campanhas e divulga cartazes com fotos de pessoas procuradas pela polícia, inclusive oferecendo recompensa por informações que levem determinados bandidos à prisão. Traficantes como Vidigal (chefe do tráfico na Lambicada e Camorim Grande), HD (chefe do Parque Belém) e Bicheiro (Perequê) estão incluídos no Portal dos Procurados.

É possível também informar a localização de pessoas que estejam em situação de desaparecimento (familiares e amigos), para que seja confeccionado um cartaz com a foto da pessoa, com o objetivo de receber informações sobre seu paradeiro. O Disque Denúncia também realizou campanhas conscientizando a população para que se denuncie violência contra a mulher e mais recentemente no mês de dezembro, através de uma indicação do vereador Dudu, o Disque Denúncia de Angra recebeu uma moção junto à Câmara de Vereadores pelo trabalho desenvolvido em parceria com outros órgãos e que possibilitou na redução da criminalidade como mencionado anteriormente.

Outros assuntos que podem ser denunciados pela população são: violência contra idosos e crianças, jogos de azar, presença de menores em casas noturnas, roubo de cargas, centrais clandestinas de tv ou internet por assinatura, estacionamento irregular, depósito clandestino de combustíveis, praga de ratos ou insetos, desmonte de veículos,  invasão de propriedade, danos ao patrimônio público, roubo e furtos em estabelecimentos comerciais, roubo e furto de fios de cobre, mau atendimento em ônibus, entre outros.

Para continuar auxiliando as autoridades no combate aos crimes na cidade, o Disque Denúncia (que em Angra dos Reis funciona a graças a um convênio firmado em 2018 pelo Prefeito Fernando Jordão através da Secretaria Executiva de Segurança Pública e o Instituto Mov Rio) solicita a população que denuncie com a garantia do anonimato através do telefone 0300 253 1177 (custo de ligação local), pelo aplicativo “Disque Denúncia RJ”, onde é possível enviar fotos e vídeos ou ainda pela fanpage do Disque Denúncia no facebook (facebook.com/DisqueDenúnciaAngra).



Ver todas as notícias

© 2015 Disque Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.