Ver todas as notícias

15_11_2018__0_9144c1dd-b1c2-4def-ba09-5bef0f4a65d5.jpg - uploaded/imgs/noticias/15_11_2018__0_9144c1dd-b1c2-4def-ba09-5bef0f4a65d5.jpg - Denúncias levam policiais ambientais à Campos, onde comprovam crimes de extração mineral e guarda de pássaros silvestres


Denúncias levam policiais ambientais à Campos, onde comprovam crimes de extração mineral e guarda de pássaros silvestres

14/11/2018



Na tarde desta quarta-feira (14), policiais militares lotados na Unidade de Policiamento Ambiental do Parque Estadual do Desengano realizaram duas ações no município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, onde averiguaram denúncias de crimes ambientais, que foram recebidas e encaminhadas pelo Linha Verde (0300 253 1177) programa do Disque Denúncia do Rio voltado para meio ambiente.

Em uma das ações, os agentes da 3ª UPAm, em cumprimento a ordem de policiamento, se dirigiram à Avenida Dario Canela, onde comprovaram a existência de um ponto de extração de substância mineral do tipo argila em uma área de aproximadamente 900 metros quadrados por dois metros de profundidade. O responsável pela atividade não foi encontrado no local, bem como máquinas ou caminhões. Uma testemunha que encontrava-se próxima ao terreno informou aos policiais que o local da extração pertence a antiga Usina São José e que nos períodos da noite e madrugada, é comum haver furto de argila na região. Como a sede da usina Farmisa (Fazendas Reunidas Miranda) estava fechada, os agentes não conseguiram realizar diligências no interior do estabelecimento, procedendo à 135ª DP, onde a ocorrência foi registrada.

Com o auxílio de outras denúncias encaminhadas pelo Linha Verde, desta vez sobre guarda de animais silvestres, a equipe de policiais da 3ª UPAm conseguiu resgatar dois pássaros da fauna silvestre que eram mantidos em cativeiro na Rua Dois, no bairro Boa Vista. Como o proprietário não apresentou nenhuma autorização do IBAMA e tampouco anilhas de identificação das aves, o coleiro e um cardeal do nordeste foram apreendidos e encaminhados ao Parque Estadual do Desengano, enquanto o responsável procedeu à 146ª DP, onde o fato foi registrado de acordo com o artigo 29 da lei de crimes ambientais.

O Linha Verde reforça que nas regiões Norte e Noroeste do Estado a população pode denunciar qualquer crime ambiental ao Linha Verde, pelos telefones 0300 253 1177 (custo de ligação local) e (21) 2253 1177 ou ainda utilizando o APP “Disque Denúncia RJ”, enviando fotos e vídeos, sempre com a garantia do anonimato.



Ver todas as notícias

© 2015 Disque-Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque-Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.