Ver todas as notícias

3_10_2018__1_45a886dd-8aa1-4719-84e5-a0c94e2ea992.jpg - uploaded/imgs/noticias/3_10_2018__1_45a886dd-8aa1-4719-84e5-a0c94e2ea992.jpg - DPMA realiza operação na Ilha da Gigóia e Ilha Primeira com objetivo de coibir crimes ambientais


DPMA realiza operação na Ilha da Gigóia e Ilha Primeira com objetivo de coibir crimes ambientais

3/10/2018



Policiais Civis da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA),  realizaram operação conjunta com equipe da 16ª DP, na manhã desta terça-feira (02/10), na Ilha da Gigoia e Ilha Primeira, Barra da Tijuca, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro.

O objetivo da ação foi reprimir construções irregulares e apurar denúncias encaminhadas pelo Linha Verde (0300 253 1177) do Disque Denúncia e pela própria delegacia, com relatos de exploração clandestina de sinal de TV, furto de energia e água, poluição ambiental e outros crimes ambientais, além de coletar informações para a instrução de investigações já em andamento.

As diligências foram acompanhadas por um perito do ICCE e fiscais da Prefeitura lotados na Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação.

Na Rua Dr Sebastião de Aquino, nº 150 – Ilha da Gigoia foram constatadas construções irregulares tanto no 2° andar do imóvel quanto na parte da frente do terreno. Os proprietários e o mestre de obras, que atuava no momento da chegada da polícia, foram autuados por operação sem licença, conforme artigo 60 da lei de crimes ambientais.

Ainda na Rua Dr Sebastião de Aquino, agora no nº 11 - Ilha da Gigóia foi encontrada uma construção de três andares, com vários apartamentos já ocupados. Nos fundos deste prédio havia grande quantidade de entulho amontoado, exposto ao tempo e caídos no canal do entorno da ilha. Não havia placa com os indicativos desta obra e nenhuma menção da pertinente Licença Ambiental do Empreendimento. O proprietário do imóvel, ainda não identificado, responderá pelo crime de operação sem licença.

No endereço Alameda das Casuarinas, nº 61 e 63 foram verificadas mais construções irregulares e os proprietários, responderão com base na lei de crimes ambientais.

No total, 12 pessoas foram conduzidas para a Delegacia para prestarem esclarecimentos. A Prefeitura realizou 4 embargos de obras e 10 notificações.  Até o momento, as investigações não apontaram a participação de milicianos nas Ilhas.

O Linha Verde solicita a população que denuncie crimes ambientais no Estado do Rio através dos telefones 0300 253 1177 (custo de ligação local) e (21) 2253 1177, ou ainda utilizando o APP “Disque Denúncia RJ”, onde é possível enviar fotos e vídeos. Em todos os canais, o anonimato é garantido ao denunciante.



Ver todas as notícias

© 2015 Disque-Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque-Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.