Ver todas as notícias

24_1_2017__1_240117938361174_ParamaturiadeLinhaChilena.png - uploaded/imgs/noticias/24_1_2017__1_240117938361174_ParamaturiadeLinhaChilena.png - Linha-Verde no combate a comercialização e utilização da Linha Chilena


Linha-Verde no combate a comercialização e utilização da Linha Chilena

24/1/2017



Durante o período de férias escolares, as pipas ganham as ruas da nossa cidade, mais precisamente o céu, fazendo a alegria das crianças, adolescentes e adultos.

Mas a cada ano, o que poderia ser visto como divertimento tem se transformado em tragédia devido à utilização da linha chilena que, mesmo proibida por lei, continua sendo vendida sem qualquer fiscalização eficaz nas vias de acesso ao trânsito, aumentando neste período do ano a incidência de acidentes envolvendo, na maioria dos casos, crianças e motociclistas. 

Feita a partir de quartzo moído e óxido de alumínio, a linha chilena tem o poder de corte quatro vezes maior do que o cerol (também proibido por lei) devido à presença do aço. Vendida em carretéis de 500 metros, sem nenhum aviso sobre os riscos, por valores a partir de R$30,00 e nas cores azul, rosa e vermelho, a linha chilena tem a sua forte comercialização na internet onde sua venda é livre e pode ser feita em até 12 vezes no cartão de crédito. Escondidos no anonimato da internet, os compradores entram em contato com os fabricantes deste produto que é feito, normalmente, em fábricas clandestinas. 

Uma Lei sancionada pelo prefeito Eduardo Paes em maio de 2012 e determina multa de R$2.000,00, sendo o valor acrescido em 50 vezes em caso de reincidência, até a perda da licença do estabelecimento, para quem vender o produto. Em caso de comercialização em feiras livres ou camelódromos, o proprietário poderá ter a sua permissão de funcionamento cassada.


Ainda segundo a lei, o responsável, em caso de lesão corporal ou morte, ainda responderá criminalmente.

O Linha Verde, programa do Disque-Denúncia exclusivo para crimes ambientais, acreditando na força da lei e sempre buscando fazer com que ela seja cumprida, disponibiliza a sua central de atendimento - através dos telefones: 2253-1177 (capital) ou 0300.253-1177 (interior; custo de ligação local) -, para recebimento de denúncias sobre a fabricação, comercialização e utilização da linha chilena e do cerol. 


No ano de 2015, dentre as 7535 denúncias sobre crimes ambientais (aumento de 25% em relação a 2014), 170 foram sobre a fabricação, comercialização e a utilização da linha Chilena e do cerol. Já em 2016, o Linha Verde cadastrou mais de 75 denúncias sobre esse assunto.

Órgãos como a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e o Comando de Polícia Ambiental (CPAm), após recebimento de denúncias anônimas vindas do Linha Verde, realizam a repressão contra a produção e armazenamento, além da comercialização da linha chilena, baseados no artigo 56 da Lei de Crimes Ambientais.

Se na sua cidade há comercialização ou fabricação de cerol ou linha chilena, denuncie. No interior do Estado do Rio, ligue 0300 253 1177 (custo de ligação local). Mora na capital? Ligue 2253 1177. O anonimato é garantido ao denunciante.

LINHA VERDE, o Disque-Denúncia do Meio Ambiente!



Ver todas as notícias

© 2015 Disque-Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque-Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.