Ver todas as notícias

5_4_2018__0_3b7486c4-c5a6-421e-9322-ec85ae79bf42.jpg - uploaded/imgs/noticias/5_4_2018__0_3b7486c4-c5a6-421e-9322-ec85ae79bf42.jpg - Fábrica de balões é estourada por policiais do Comando de Polícia Ambiental após denúncia do Linha Verde


Fábrica de balões é estourada por policiais do Comando de Polícia Ambiental após denúncia do Linha Verde

5/4/2018



Policiais Militares lotados na 2ª Unidade de Policiamento Ambiental, após terem recebido informações do Linha Verde, sobre uma fábrica clandestina de balões, conseguiram apreender nesta quinta-feira (05) três balões (um com sete metros, um com seis metros e outro de três metros) e diversos materiais usados utilizados para confeccionar balões.

De acordo com os agentes da UPAm Móvel, subordinados ao Comando de Polícia Ambiental (CPAm) ao seguirem as informações da denúncia, se dirigiram à Rua Macembu, onde na residência denunciada encontraram o proprietário do imóvel que informou alugar o espaço para uma outra pessoa, que dizia confeccionar pipas. Após entrada dos policiais no interior do imóvel, constataram que se tratava de um local para fabricação de balões e, além dos três balões, foram apreendidos três mosquetões, farta quantidade de papel, dois batedores para respiro, uma embalagem com argolas de papelão, uma bandeira de 26x05 metros, uma bandeira de 04x05 metros, uma boca de balão de 97centímetros, 1583 lanternas de balão, quatro armações para lanterna, tubos de cola, canetas, barbante, réguas e fita durex. Os agentes ainda encontraram uma estrutura artesanal para confecção de linha chilena, costumeiramente usada em linhas de pipa. Vale frisar que a linha chilena tem poder de corte quatro vezes maior do que o cerol e é fabricada com auxílio de quartzo moído e óxido de alumínio e pode matar. Todo o material foi encaminhado à 32ª DP, onde o caso foi registrado de acordo com o Artigo 42 da Lei de Crimes Ambientais.

Cabe ressaltar que o Linha Verde possui uma campanha denominada “Disque Balão” e que essa campanha é intensificada entre os meses de Abril e Setembro, onde a prática da soltura de balões é maior. Quem quiser denunciar locais de confecção, soltura, comercialização ou grupo de baloeiros pode ligar para os números 2253 1177 e 0300 253 1177 (interior, custo de ligação local), ou ainda utilizar o aplicativo para celulares “Disque Denúncia RJ”, onde é possível enviar fotos e vídeos sempre com a garantia do anonimato.



Ver todas as notícias

© 2015 Disque-Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque-Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.