Ver todas as notícias

26_9_2017__0_Forcas de Seguranca (minimizado) 2.jpg - uploaded/imgs/noticias/26_9_2017__0_Forcas de Seguranca (minimizado) 2.jpg - DISQUE DENUNCIA PEDE INFORMAÇÕES SOBRE MAIS 14 TRAFICANTES QUE TIVERAM PRISÃO DECRETADA POR INVASÃO DA ROCINHA


DISQUE DENUNCIA PEDE INFORMAÇÕES SOBRE MAIS 14 TRAFICANTES QUE TIVERAM PRISÃO DECRETADA POR INVASÃO DA ROCINHA

26/9/2017



O Portal dos Procurados do Disque Denúncia divulga nesta terça-feira, dia 26/09, cartaz com recompensa de R$ 1 mil (cada) por informações que levem às prisões de Alberto Ribeiro Sant’Anna, o Cachorrão, de 35 anos; Emerson Brasil da Silva, o Raro, de 28; Felipe Melo de Assis Braga, o Belo, de 24; Jhonatan Porto Pessanha, de 21; Joel Sousa Mendes, de 33; Jose Carlos de Souza Silva, de 29; Jose Ribamar Monteiro de Oliveira, de 27; Josué Neves Alves, de 23; Leonardo Miranda da Silva, Léo Empada, de 31; Marcos Paulo Guedes Facundo, o Marquinhos, de 28; Romário Pereira, o Inseto, de 23; Thiago Silva Mendes Neris, o Catatal, de 29; Washington de Jesus Andrade Paz, o W, de 25 e Emerson Estevão dos Santos, de 32. Eles são acusados de terem participado da invasão da Rocinha, para retomada dos pontos de drogas, que está sob o comando do traficante Rogério 157, que teria dado um “Golpe de Estado”, na facção que domina a região.
 


E por decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Cartório do Plantão Judicial do Rio de Janeiro, foi decretado, na madrugada deste sábado (23), a prisão temporária de mais 18 traficantes que tiveram envolvimento na invasão na Favela da Rocinha. Entre os traficantes procurados está Emerson Brasil da Silva, o Raro, chefe do tráfico de drogas do Complexo da Pedreira, em Costa Barros, Zona Norte do Rio; Leonardo Miranda da Silva, o Léo Empada, um dos chefes do tráfico do Complexo do São Carlos, no Estácio, inclusive ele teria sido um dos líderes da invasão a mando facção, e Alberto Ribeiro Sant”Anna, o Cachorrão, principal segurança e braço-direito do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogerinho 157. Thomaz Alves da Silva e Vinicius dos Santos Mascarenhas, foram presos, nesta final de semana. Eles também faziam parte da lista dos dezoito indiciados pela Justiça.

Entre os denunciados pela invasão da Rocinha, também está o traficante Celso Luiz Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, um dos principais fundadores da facção Amigos dos Amigos – ADA-. Segundo investigações, da 11ª DP – Rocinha – Celsinho, teria sido um dos mandantes da invasão. Em maio deste ano, ele havia conseguido, na Justiça, a transferência de um presídio federal para o Rio. Ele está condenado a mais de 30 anos de prisão por crimes como tráfico de drogas, homicídio, corrupção, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver

A guerra na Rocinha teve início quando o traficante Nem, preso em Rondônia, mandou uma ordem para que Rogerinho 157 deixasse o comando da favela. Logo depois dessa ordem, três traficantes da confiança de Nem foram encontrados mortos na Estrada da Gávea, são eles: Ítalo Jesus de Campos, o Perninha, Robson da Silva, o 99, este encarregado de controlar pontos de drogas no Morro do Vidigal e Welington Nascimento, conhecido como " Vasquinho", um dos indiciados pela morte do Presidente da Associação da Rocinha, o Feijão, em março de 2012. Outros aliados de Nem também foram expulsos da favela por ordem de 157. Até a mulher de Nem, Danubia de Sousa Rangel, foi obrigada a se refugiar na Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, para não ser morta. 

A alta cúpula da facção Amigos dos Amigos (ADA) decidiu se unir para expulsar Rogério do comando da favela, e convocou traficantes do São Carlos, na Região Central do Rio, da Vila Vintém, na Zona Oeste, Morro dos Macacos e Morro da Pedreira, Zona Norte, para retomar o comando da favela, e destituir do comando o traficante 157.

Em decisão exarada pela Justiça, foram expedidos mais 18 mandados de prisão, contra os traficantes envolvidos na invasão, mandado nº 0247123-12.2017.8.19.0001, datado em 22/09, com pedido de Prisão Temporária. E

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos na guerra da Rocinha, favor informar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/ (inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ. 

Todas as informações serão encaminhadas à 11ª DP – Rocinha; encarregada das investigações e do inquérito criminal.     



Ver todas as notícias

© 2015 Disque-Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque-Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.